Museu de Santo André Dr. Octaviano Armando Gaiarsa - Antigo I Grupo Escolar de São Bernardo

O Museu, por meio de seu acervo, apresenta a memória e a história de Santo André. As exposições retratam as transformações que vão se delineando na cidade, seja no espaço urbano, social, econômico, político ou cultural. Dessa forma, esse espaço de cultura visa valorizar as pessoas, o lugar onde vivem e seu legado cultural.

Horário de funcionamento: Segunda a sexta-feira, das 8h30 às 16h30, e sábado, das 9h às 14h30.

Site: http://www2.santoandre.sp.gov.br/

Email Público: museu@santoandre.sp.gov.br

Telefone Público: (11) 4427-7297

Endereço: Rua Senador Fláquer, 470 - Centro - Santo André 09010-160

CEP: 09010-160

Logradouro:

Número: 470

Complemento:

Bairro: Centro

Município: Santo André

Estado: SP

Bairro:

Descrição

Primeiro grupo escolar da Região do ABC, a escola foi construída em terreno doado por Clara Thon Fláquer e seu marido Secundino Domingues.
Inaugurado em 1914, recebeu mais tarde a denominação de E.E. Professor José Augusto de Azevedo Antunes. Funcionou como escola até 1978, quando a Prefeitura fez uma permuta com o Governo do Estado e o local passou a ser ocupado pelo serviço de promoção social da Prefeitura até que em 1990 foi instalado o Museu. O edifício que abriga o Museu de Santo André faz parte de um conjunto de edificações escolares construídas pelo Governo do Estado de São Paulo na Primeira República (1889-1930). O projeto de José Van Humbeck com a fachada de J.B Maroni, é da tipologia Mogy Guassu e comum em Grupos Escolares em outras cidades do estado como Ituverava, Pereiras, Itápolis, Orlandia, Itatinga e Mogi Guaçu.
A disposição das salas em forma de U, interligadas por um alpendre, cria um agradável pátio interno.
No decorrer do tempo, a escola ficou pequena para atender ao crescente número de alunos o que levou a Prefeitura e o Governo a fazer uma permuta em que o município construiu uma nova edificação no bairro Casa Branca para abrigar a escola, transferida em 1978. A Prefeitura, por sua vez, assumiu as instalações do antigo Grupo Escolar, que naquele momento passou a ser ocupado pelo Serviço de Promoção Social - PROSSAN.
Em 1990 o Museu de Santo André foi transferido para essa edificação. Em 1992 o prédio foi reconhecido como Patrimônio Cultural da cidade pelo Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico-Urbanístico e Paisagístico de Santo André – COMDEPHAAPASA e em 2010, como Patrimônio Cultural do Estado de São Paulo pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico Artístico arqueológico e Turístico do Estado de São Paulo - CONDEPHAAT.
O Museu possui em seu acervo cerca de 70 mil itens relativos à memória de Santo André, apresentados em exposições e diversas outras atividades de difusão que retratam as transformações delineadas na cidade no decorrer do tempo, em seu aspecto urbano, social, econômico, político ou cultural. Assim, estabelece relações cada vez mais sólidas com a sociedade que ele representa, incentivando que esta se aproprie deste espaço de conhecimento, bem como de sua história e de sua Memória.
Comdephaapasa http://culturaz.santoandre.sp.gov.br/agente/240/

Critérios de uso do espaço

A política cultural do Museu de Santo André é composta pelos seguintes pressupostos: • ser um espaço dinâmico, que valoriza o ser humano, sua produção e sua cultura dentro do contexto social da comunidade em que se encontra inserido; • estabelecer diálogo com a sociedade e os visitantes por meio de exposições, publicações e ações educativas e culturais; • ser um espaço cultural onde a referência é o tempo presente. Os acontecimentos passados são referenciais para o entendimento da atualidade; • ser catalisador de bens culturais da cidade por meio da coleta, pesquisa, seleção, conservação e divulgação desses bens; • fomentar atividades de valorização do patrimônio cultural de Santo André, sejam elas iniciativas do poder público ou da sociedade civil. Suas formas podem ser parcerias, cooperações, cursos ou palestras; • realizar pesquisas, selecionando e conservando suas fontes e divulgando os resultados por meio de exposições, palestras, catálogos, livros ou outros meios de acesso ao público; • criar estratégias de formação de pessoas e divulgação de temas associados a sua área de atuação, visando o desenvolvimento do conhecimento sobre a história e memória da cidade. Para tanto, o Museu dedica-se a cinco linhas básicas de atuação: exposições, ação educativa e cultural, biblioteca, sala especial e serviço de captação de doações. São esses os trabalhos que potencializam o contato com a sociedade. Exposições Essa é a forma de comunicação mais direta do Museu com o público. Nas exposições o visitante conhece ou reconhece o patrimônio cultural e o espaço no qual está inserido, visto que retratam aspectos culturais da cidade O Museu possui três formatos de exposição: exposições no próprio espaço do Museu, que podem ser temporárias ou de longa duração; exposições tipo Museu de Rua, que ficam instaladas em espaços abertos tais como praças, parques, calçadas e exposições em outros espaços de interesse cultural. A produção pode ser feita em parceria com outras instituições. Sala Especial É uma sala de exposição do Museu dedicada à comunidade. Ali, qualquer pessoa, grupo ou instituição que possua uma produção cultural que esteja associada a Santo André, pode apresentá-la durante um mês. O Museu oferece os suportes de exposição: quadros, vitrinas, etc para que o material possa ser exposto. Para participar dessa proposta é preciso entrar em contato com o Museu e preencher uma ficha de solicitação do espaço. As exposições são marcadas mediante agenda da sala. Já utilizaram o espaço: escolas, artistas, plásticos, grafiteiros, escritores, grupos organizados, entre outros. O Programa de Ação Educativa e Cultural Atende ao público com palestras, cursos, encontros, oficinas e demais atividades educativa/culturais, além de estabelecer parcerias em projetos educacionais sobre a cidade e/ou patrimônio cultural. Oferece também visitas mediadas para grupos organizados ao Museu e ao Centro Cívico de Santo André, mediante agenda prévia. Biblioteca A Biblioteca do Museu é especializada na história e memória de Santo André e do Grande ABC. Ali podem ser encontrados livros, trabalhos, teses, documentos, coleções de jornais, recortes de jornais e fotografias referentes às temáticas já apresentadas. O material está à disposição de estudantes de Ensino Fundamental, Médio e Superior, além de pesquisadores e interessados em conhecer algo mais sobre a história da cidade. O atendimento é realizado de acordo com as necessidades de cada consulente. Alguns materiais, por sua raridade e seu valor histórico, estão apenas à disposição de pesquisadores que desejem se aprofundar em uma pesquisa. O mesmo ocorre com coleções de jornais e acervo fotográfico. Encontros Tem o intuito de estreitar os laços com os pesquisadores, fortalecer a pesquisa sobre a região e propiciar ambiente favorável a novas pesquisas, o Museu vem se dedicando a realizar ações que possam divulgar as pesquisas já realizadas. Uma das estratégias para essa divulgação são os Encontros de Pesquisadores que ocorrem em abril de cada ano. São apresentados pesquisas e trabalhos que versam sobre a região do Grande ABC. O material proveniente desses Encontros fica disponível para consulta na Biblioteca do Museu.

Galeria

evento entre e

Publicado por

Museu de Santo André Dr. Octaviano Armando Gaiarsa

O Museu, por meio de seu acervo, apresenta a memória e a história de Santo André. As exposições retratam as transformações que vão se delineando na cidade, seja no espaço urbano, social, econômico, político ou cultural. Dessa forma, esse espaço de cultura visa valorizar as pessoas, o lugar onde vivem e seu legado cultural.